• João Vitor Mota

Não sou uma pessoa criativa... E agora?

Atualizado: 25 de Jun de 2019

Você concorda com a afirmação de que nada se cria, tudo se copia? Será que já nascemos criativos ou podemos desenvolver essa habilidade com o passar do tempo? Já ouviu alguém falando para pensar fora da caixa? O que é essa caixa?



Se você, assim como nós, também ficou curioso sobre a possibilidade de desenvolver ou não a criatividade e criar soluções inovadoras, esse artigo é para você. Mostraremos mais sobre o mito sobre a criatividade: é um dom, ou nascemos criativos ou nunca seremos criativos, ou podemos adquirir a habilidade da criatividade com certos estímulos?


Para não te deixar desesperado(a), já vamos adiantar: qualquer pessoa pode ser criativa, basta ter estímulos corretos. A criatividade humana está relacionada com a necessidade de transcender limites pré-estabelecidos.




Criatividade e Inovação


A palavra criatividade origina-se do latim “creare”, cujo significado é criar, fazer, elaborar. No grego, a palavra “krainen” (criatividade) significa realizar, desempenhar, preencher. Compreende-se que a criatividade necessita de um sujeito que deseja realizar algo novo para si mesmo ou para os outros.

A palavra inovação origina-se do latim “innovatione”, cujo significado é renovação. Acredita-se que a inovação representa a aplicação da criatividade, ou seja, primeiro temos a criatividade, depois a inovação.




Mitos


A criatividade, como já dissemos, foi por vezes confundida com dom, ou seja, ou você nasce com essa habilidade ou não irá desenvolvê-la, mas podemos observar por meio de várias pesquisas que essa linha de pensamento não passa de um mito.


Ser criativo é algo do ser humano, todos nascem com essa habilidade, bastam alguns estímulos para desenvolvermos com mais clareza essa competência. A gestora cultural Rose Meusburguer observa o quanto crianças são criativas e como, por não entender as regras estabelecidas e não conhecerem os padrões de uma sociedade, o cérebro da criança “não tem limites” em seus primeiros anos de vida, mas com o passar dos anos, o sujeito vai perdendo essa habilidade.


Jean Rousseau, importante filosofo iluminista, teórico político, escritor e compositor suíço, afirma [...] o homem nasce bom, a sociedade o corrompe. Essa ideia, que inspira alguns pensamentos sobre a criatividade, é uma analogia, pois o homem nasce criativo, mas com o tempo a sociedade o obriga a deixar de ser.




O Processo Criativo


O processo criativo é definido por Torrance (1974, p. 2) [...] como um processo natural nos seres humanos, através do qual uma pessoa se conscientiza de um problema, de uma dificuldade ou mesmo de uma lacuna nas informações, para o qual ainda não aprendeu a solução; procura, então as soluções possíveis em suas experiências previas ou nas experiências dos outros. Formula hipóteses sobre todas as soluções possíveis, avalia e testa estas soluções, as modifica, as reexamina e comunica os resultados.




A Pessoa Criativa


Como já foi mencionado, a criatividade humana está relacionada com a necessidade de transcender limites pré-estabelecidos. O sujeito criativo geralmente possui algumas características que o diferenciam de outros que não criam ou têm essa dificuldade. Ele é altruísta, persistente, motivado, ousado, sensível, intuitivo, tem percepção aguçada, é flexível, observador, receptivo, tem espírito investigativo, é autoconfiante, tem uma visão holística das situações, é autocrítico, autossuficiente e independente. Ou seja, o sujeito criativo é independente por natureza. Não se prende a regras preestabelecidas. Trata-se de um uma pessoa libertária no pensar e na ação.




Criatividade vs. Irresponsabilidade

Contudo, a criatividade não deve ser confundida com irresponsabilidade. Pelo contrário, pois exige a busca constante por melhorias, sendo esse um dos motivos da forte relação entre criatividade e inovação.


Woody Allen, cineasta, roteirista, ator, escritor e músico norte americano, pode não ser seu diretor favorito, mas tem diversas obras no cinema internacional e é conhecido por entregar um filme por ano para a academia. Como ele pode ser tão criativo?

Além de fazer o que ama, Woody Allen afirmou em uma de suas entrevistas que um de seus métodos para ser criativo é anotar tudo e qualquer ideia que vem a sua cabeça. Quando possui algum bloqueio criativo ele tenta relaxar. Ele afirma que a pressão é o pior ambiente para se criar e se distanciar do problema e tentar enxergar aquilo com outros olhos pode ser, por vezes, a solução que buscava.


Pensando nesta afirmação, lembramos que alguns dos grandes pensadores da história estavam em momento de relaxamento quando tiveram ideias inovadoras:

  • Isaac Newton, astrônomo, alquimista, filósofo natural, teólogo e cientista inglês, estava debaixo de uma árvore relaxando e refletindo, quando teve o insight sobre a gravidade.

  • Arquimedes, matemático, físico, engenheiro, inventor, e astrônomo grego, é outro exemplo clássico, que, quando descobriu a teoria dos fluidos, estava relaxando em sua banheira.




Eureka!

Não há um passo a passo para ser criativo e ter ideias inovadoras e geniais, mas existem estímulos onde essa habilidade pode ser desenvolvida e alcançar seu momento “Eureka”!


Existem também três pilares no Design thinking, um novo mindset sobre o pensar inovador, que se relacionam com a criatividade:

  • Empatia Consiste em tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma não somente objetiva e racional o que sente outro indivíduo.

  • Colaboração A cada dia temos mais pessoas no planeta, portanto sendo colaborativo, o processo de criação fica muito mais forte e eficiente do que criar individualmente. Podemos ver a colaboração nas tendências do mercado de empreendedorismo, como por exemplo coworkings, a economia colaborativa e a co-criação de conteúdo.

  • Experimentação Como terceiro e último pilar, um ambiente onde experimentações são permitidas e o erro é visto como uma oportunidade de aprender, e não resulta em uma punição, as pessoas ficam mais relaxadas e suscetíveis a terem ideia inovadoras.


Além desses pilares, também vale ressaltar que, para desenvolver sua criatividade, você precisa gostar do que está fazendo, ter um propósito maior e bem definido e acreditar.


Lembre-se também de que pensamentos negativos não te farão chegar mais perto do seu objetivo, apenas o atrapalhará.



Você chega em casa depois de um dia intenso de trabalho e se sente esgotado. Mesmo gostando do que faz e se dedicando para isso, sua energia ainda é sugada e você não consegue descansar sem tirar o trabalho de sua mente.

Com certeza, em algum momento de sua vida, você já passou por essa situação…


É comum que muitas pessoas se sintam assim, mas o que todos devem saber é que não é normal! Há algo de errado com seu método de trabalho e esse e-book irá te auxiliar a resolver

esse problema com 5 estratégias baseadas no livro “O vendedor inteligente”, do Ricardo Lemos.



28 visualizações

(61) 3966-1661

©2019 by Projetos Consultoria Integrada

Setor Comercial Sul Q. 1 BL 1 BL A Union Building SL 901 - Brasília, DF, 70300-901

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now